Por que as pessoas fofocam tanto?

PERGUNTA:

Por que as pessoas fofocam tanto?

(Não sou do grupo que não fofoca. Aliás, esse grupo existe?)

RESPOSTA:

Que jogue a primeira pedra quem nunca fofocou. Acho que não existe uma só pessoa neste mundo que não tenha fofocado na vida… Nem aquelas (mega) iluminadas… Falar da vida dos outr0s (seja verdade ou mentira) é algo que existe provavelmente desde a época dos nossos parentes peludinhos das cavernas, é algo inerente da vida em sociedade.

Sinceramente acho o termo “fofoca” meio forte, meio pejorativo… parece que é falar mentiras sobre a vida alheia quando, no final, é simplesmente falar sobre a vida alheia, seja mentira ou não. Prefiro seguir esta segunda linha semântica.

As Celebrities acabam sendo o alvo mais fácil e recorrente das fofocas. É um prazer folhear a Caras ou a Contigo e acompanhar a vida dos ricos e famosos. Não sei como isso alimenta a minha inteligência, mas que é divertido é (por favor, não se engane dizendo para si mesmo que não vê graça nesse tipo de revista – lembre-se todas as vezes que você leu escondido aquela revista de fofoca que encontrou no banheiro ou numa sala de espera do dentista – mente não, hein?!). O mais divertido depois é dar os “furos” por aí: “Menina, você viu que a Debora Seco mal casou e já se separou do Roger?”… Caramba, por que dar furo sobre a vida alheia é tão legal? Será que existe um jornalista dentro de cada um? Talvez quando estamos dando o ‘furo’ nós nos sentimos especiais, nos sentimos como o centro da interação – e da atenção – por alguns momentos… sei lá.

Mas o pior não é a fofoca verdadeira… pior é a fofoca mentirosa… pior ainda é a fofoca mentirosa que envolve pessoas do nosso círculo social… essa aí é perigosa e traiçoeira. É “do mal”. Muitas pessoas usam a fofoca para tentar se auto justificar. Um exemplo é o caso de uma mulher que acabou de ser promovida… se ela for bonita e o chefe for homem… com certeza começam os boatos mentirosos de que ela só foi promovida porque dormiu (ou dorme) com o chefe… É fácil inventar histórias por aí. É fácil e reconfortante desmerecer o outro para se sentir melhor (e menos inferior). Cruel com o outro, fácil pra você.

O brasileiro é craque em inventar fofocas principalmente quando o assunto é sucesso… se for financeiro então é pior ainda. Pensa aí quantas vezes você já ouviu alguém próximo de você dizer: “Ah, ele tá cada vez mais rico, deve estar fazendo algo ilegal ou anti-ético pra enriquecer tão rápido“. My God, porque as pessoas não podem enriquecer nesse país? Parece pecado. Deve ser algo da base cultural católica que temos onde o sofrimento é muito mais exaltado que o sucesso. Maybe.

No mundo corporativo existe a famosa “rádio peão” (pelo menos é assim que se chama o tititi de corredor da empresa em que trabalho). Mas olha só, o pior é que na maioria das vezes ela está certa. Muitas vezes não no resultado final, mas sim nos motivos. É um grande termômetro do clima corporativo. Só sei que quando um assunto está quente na rádio peão pode ter certeza de que parte dele é verdadeiro. Eu sinceramente acho que a rádio peão é pior nas empresas brasileiras porque as pessoas tem muita dificuldade de dar e receber feedback, daí elas levam as desavenças para o pessoal, acabam emburradinhas umas com as outras e apostam nas conversas e boatos da rádio peão para resolver seus problemas. Pensam assim “o feedback vai acabar chegando no ouvido do meu chefe e quem sabe ele não vai melhorar”. Puxa vida, era bem mais fácil e produtivo se as pessoas dessem diretamente os feedbacks – por favor, não ache que a rádio peão vai resolver os seus problemas de relacionamento corporativo. Be fast and smart.

Falar dos problemas do outro (seja do círculo próximo ou mesmo das celebrities) tira os nossos próprios problemas de perspectiva. Aquela que fala (mal) do casamento da amiga, provavelmente está tapando o sol com a peneira no próprio relacionamento. Aquele que desmerece uma colega de trabalho com algum história bizarra, morre de inveja dela e não sabe o que fazer. Aquela que  tudo sabe da vida alheia, provavelmente está totalmente por fora sobre o que seu marido e seus filhos fazem. Mas acho que vale lembrar daquele ditado: “Cuidado ao cuspir para cima que o cuspe pode cair de volta na sua testa”.

Amiguinhos olhem seus umbigos antes de proferir a primeira fofoca. E, por favor, não alimentem a rádio peão. Madame#m.

About these ads

Uma resposta para “Por que as pessoas fofocam tanto?

  1. puts. rádio peão. simplesmente adorei o nome!
    :*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s